26 de outubro de 2012

Os corvos sustentam o profeta.


Estando a terra de Israel arrasada pela seca e pela fome, os corvos trazem pão e carne para alimentar o profeta Elias.

I Reis 17:1-7

No tempo em que Acabe reinava sobre Israel, Deus anunciou através do profeta Elias uma terrível seca que arrasaria as terras de Israel causando extrema fome. Elias disse ao rei Acabe que os próximos anos seriam maus pois não cairia chuva e sequer orvalho, segundo a palavra do Senhor.

Já chegando os dias de fome à terra, o Senhor novamente falou com Elias dizendo-lhe para esconder-se próximo ao ribeiro de Querite, junto ao Rio Jordão, pois lá ele teria as águas do ribeiro para beber e que já havia ordenado os corvos para trazerem-lhe alimentos.

Confiando na providência divina, Elias obedeceu à voz do Senhor e foi habitar próximo ao ribeiro de Querite. Exausto da viagem, chegou ao ribeiro de Querite e lá encontrou sombra e água fresca.

Os corvos, obedeceram à ordem de Deus e providenciaram comidas para Elias. A tarefa dos corvos, porém, não era tão fácil, uma vez que a terra de Israel já padecia de fome por causa da seca. No entanto, os corvos são reconhecidos como animais dotados de inteligência para conseguirem alimento. Por isso, Deus os escolheu para realizarem a difícil tarefa de encontrar comida em terra seca.

Os corvos começaram a sobrevoar o ribeiro de Querite, onde Elias estava. Eles, porém, não traziam maus presságios, como acreditam os superticiosos, mas sim, comida para alimentar o profeta Elias. Todos os dias, manhã e noite, fielmente, os corvos aterrisavam próximo ao ribeiro de Querite trazendo pão e carne para Elias.

Quando Elias já estava se acostumando com a sombra e água fresca e com a serventia de primeira dos corvos, o ribeiro de Querite secou-se, pois não resistiu à seca que assolava Israel. Na falta de água, Elias seria obrigado a abandonar aquele lugar para não passar necessidades.

Novamente veio a palavra do Senhor a Elias, dando-lhe esperanças. Deus disse a ele para sair de Querite e partir em direção à Sarepta, pois lá, mais uma vez, providenciar-lhe-ia o sustento. Dessa vez, Deus ordenaria não aos corvos, mas sim a uma pobre viúva de Sarepta que fornecesse alimento para Elias. Essa viúva, porém, nada tinha, senão uma botija de azeite e um pouco de farinha, com os quais faria com seu filho a última refeição. Como Deus é fiel, “da panela a farinha se não acabou, e da botija o azeite não faltou, conforme a palavra do Senhor, que falara pelo ministério de Elias” (I Reis 17:16). Mais uma vez o Senhor providenciou o sustento de Elias nos dias de fome.

Elias não se abalou com a seca que assolava a terra, pois contou com a providência divina nos piores momentos. Deus é sempre fiel àqueles que o temem. Por isso, não devemos andar ansiosos pelo que comeremos ou pelo que beberemos (Mateus 6:25), pois não se verá aquele que teme a Deus a mendigar o pão (Salmos 37:25).

Textos sugeridos

I Re. 17:1-7 - Os corvos trazem pão e carne para Elias
I Re.17:8-15 - A viúva de Sarepta
I Re.17:16 - Deus não deixa faltar o alimento
Mt.6:25 - Não devemos andar ansiosos pelo que havemos de comer
Sl. 37:25 - o justo não mendigará o pão
Mt.5:31-32 - Deus sabe as nossas necessidades

Reflexão
Os corvos trazem maus presságios?

Há pessoas supersticiosas que acreditam que os corvos trazem maus presságios (previsões de acontecimentos ruins), aos lugares que chegam. Isso apenas porque os corvos têm as penas muito negras e porque alimentam-se de cadáveres.

Um dos fatos que deu mais força a essa crença foi a morte do ator Brandon Lee durante as filmagens do filme “O Corvo” em 1993. Nesse filme, Brandon Lee interpretou um personagem que veio da morte conduzido por um corvo para vingar-se dos seus assassinos. Na cena em que o personagem de Brandon seria baleado, a arma, em vez de balas de festim, continha uma bala de verdade. Assim, um tiro de verdade em cena deu fim a vida de Brandon Lee aos 28 anos de idade. Até hoje as pessoas acreditam que Brandom Lee foi vítima da “maldição do corvo”, em referência ao corvo que guiava seu personagem no filme “O Corvo”.

A Bíblia diz que Deus odeia as práticas de prever o futuro e condena os agoureiros, que são aqueles que anunciam maus presságios (Deuteronômio 18:10-13). Já aqueles que acreditam em superstições cometem idolatria, pois atribuem a coisas, animais e a fenômenos ocasionais o controle do futuro, quando na verdade, só Deus tem o controle do destino de todas as coisas. Além disso, pessoas supersticiosas substituem a fé pelo medo e a proteção de Deus, por amuletos e outros objetos da sorte. Tudo o que ocupa o lugar de Deus é idolatria. Portanto, a superstição é idolatria e desagrada a Deus.

Como Deus está no controle de tudo, os corvos, assim como na história de Elias, só podem trazer o que Deus ordenar. Portanto, não podemos afirmar que por si mesmos os corvos trazem maus presságios.



Por:Jesus dentro do barco
26/10/12

0 Comentario:

Postar um comentário

Deiche aqui suas mensagens